O “DIA BRANCO E VERMELHO – Dia de Conscientização Sobre a Surdocegueira em Belo Horizonte” está mais próximo de ser instituído no calendário municipal. O Projeto de Lei (PL) dp vereador Gilson Reis, que instituí a data a ser comemorada em 12 de novembro, foi aprovado em Segundo Turno na Câmara dos Vereadores e será enviado para a sanção do prefeito.

A Surdocegueira é uma condição de deficiência única, no qual a pessoa quase nunca é reconhecida e precisa de tratamento específico. O Surdocego usa uma bengala branca e vermelha para simbolizar a condição. Por exemplo, as cores indicam que uma pessoa nessa condição não vai ouvir, por exemplo, o som de uma buzina ao atravessar a rua.

O PL tem o intuito de criar visibilidade à condição, além de compreender e combater qualquer forma de discriminação. Segundo a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), estima-se que existam cerca de 40 mil pessoas com surdocegueira no Brasil.

As principais formas de comunicação dos surdocegos incluem o alfabeto datilológico tátil, braille, braille tátil, comunicação social háptica, escrita na palma da mão, fala ampliada, libras tátil, libras em campo visual reduzido, e o tadoma, pela qual a pessoa coloca o polegar na boca do falante e os dedos ao longo do queixo.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.