Para estimular a inclusão social dos portadores de deficiência visual e auditiva na cidade, o  vereador Gilson Reis (PCdoB), deu entrada na Câmara Municipal a projeto de lei que institui no calendário oficial do Município o “Dia Municipal da Surdocegueira”, a ser comemorado anualmente em 12 de novembro. No texto do projeto de lei o parlamentar destaca a especificidade da deficiência: “A surdocegueira é uma deficiência caracterizada pela ausência da visão e da audição de forma simultânea e em graus diferentes. Não são duas deficiências juntas, mas, sim, uma deficiência única, que precisa ser tratada de forma específica”, observou.

Segundo a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), estima-se que existam cerca de 40 mil pessoas com surdocegueira no Brasil. Nos Estados Unidos há mais de 50 mil pessoas com essa condição, e na União Europeia, 150 mil pessoas.

Gilson Reis lembrou que a ideia do Dia da Surdocegueira surgiu após reunião com representantes dos surdocegos. “Tive uma reunião com Lara Gontijo e Poliana, da Federação Nacional de Educação e Integração dos surdocegos para discutirmos uma legislação que dê visibilidade à pessoa com surdocegueira. “Apresentamos o projeto de Lei  que estabelece o Dia Municipal Branco e Vermelho. A bengala branca e vermelha caracteriza a pessoa com essa deficiência única”, declarou o vereador.

Existem várias formas de comunicação utilizadas pelas pessoas com surdocegueira que lhes dão mais qualidade de vida. As principais incluem o alfabeto datilológico tátil, braille, braille tátil, comunicação social háptica, escrita na palma da mão, fala ampliada, libras tátil, libras em campo visual reduzido, e o tadoma, pela qual a pessoa coloca o polegar na boca do falante e os dedos ao longo do queixo.

Dia Municipal Surdo Cegueira

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.